23/07/2017

RESENHA #48 - ”A ÚLTIMA CARTA DE AMOR” - JOJO MOYES

LIVRO:”A ÚLTIMA CARTA DE AMOR”
TÍTULO ORIGINAL: THE LAST LETTER YOUR LOVER
AUTORA:JOJO MOYES
TRADUÇÃO: ADALGISA CAMPOS DA SILVA
EDITORA: INTRÍNSECA
PÁGINAS –320
1ª  EDIÇÃO 2016
CATEGORIA: FICÇÃO INGLESA
ASSUNTO: ROMANCE
ISBN: - 978-85-8057-957-4

A última carta de amor

CITAÇÃO: “Ele falava com ela como alguém que conta segredos da vida inteira à pessoa que está a seu lado no trem, uma intimidade liberada, baseada no entendimento tácito de que era improvável tornarem a se encontrar. [...]” (pág. 91)


ANÁLISE TÉCNICA:

-CAPA-

Mulher caminhando em um descampado entre duas árvores congeladas (?). Fundo todo verde.
Particularmente não gosto muito desse estilo de capa, mas é algo bem pessoal.

NOTA: 4,00 DE 5,00

-DIAGRAMAÇÃO:

Folhas amareladas em letras pretas abaixo da média que dificultam a leitura.
Conteúdo: opiniões; dedicatória, prólogo, dividido em três partes numeradas; vinte seis capítulos; e, agradecimentos. No início dos capítulos há um trecho de alguma carta de alguém para outra pessoa, referente ao assunto do capítulo.
Formato: 16 x 23 x 1,9 cm
Diagramação: Kátia Regina Silva/Babilônia Cultura Editorial.

NOTA: 3,80 DE 5,00


- ESCRITA:

Narrativa descritiva em 3ª pessoa desconhecida, com diálogos bem construídos e esclarecedores, mostrando os pensamentos e sentimentos das personagens e trazendo a amplitude e entendimento dos fatos.
Poucos erros de correção.
Revisão: Milena Vargas e Carolina Rodrigues.

NOTA: 4,00 DE 5,00



CITAÇÃO:

“-Ah, tudo bem, então que bom para você, Sr. Prático. Que bom que você pode abrir e fechar as suas emoções como se fossem uma torneira. Sim, eu caí nessa por vontade própria. Imoral? Sim. Imprudente? A julgar pela sua resposta, óbvio. Mas eu senti uma coisa mágica por um momento e...não se preocupe, estou pagando por isso desde então.” (pág. 272)


“-Não existe vida livre de complicação, Rory. Todos nós acabamos fazendo concessões no fim.
-Eu não.
O chefe ergue a sobrancelha. Tem um pequeno sorriso nos lábios.
-O que foi? – diz Rory. – O que foi? Não vai me dar nenhum sermão sobre oportunidades perdidas e como desejaria ter agido de outra maneira, vai? – Seu tom de voz está mais alto, mais áspero do que ele pretendia, mas ele não consegue evitar. Começa a mover caixas de um lado para outro da van. – De qualquer forma, não adiantaria nada. Vou viajar. Não preciso de complicações.” (pág. 278)

SINOPSE:

“Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta a sua casa com o marido, ela tenta, em vão, recuperar a memória da antiga vida. Por mais que todos ao seu redor pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por "B", e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com o amante.

Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido - em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado -, Ellie começa a procurar por "B", e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas do seu próprio relacionamento.

Com personagens realisticamente complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor, primeiro livro de Jojo Moyes publicado pela Intrínseca, entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer.”


CITAÇÃO:

“-Mas não existe perdão para pessoas como nós, Ellie. Você pode vir a descobrir que a culpa tem um papel muito maior no seu futuro do que você gostaria. Dizem que a paixão arde por uma razão, e, quando se trata de casos, os protagonistas não são os únicos que saem machucados. Quanto a mim, ainda me sinto culpada pelo sofrimento que causei a Laurence... Eu justificava isso para mim na época, mas vejo que o que aconteceu...magoou a todos nós. Mas...a pessoa em relação à qual sempre me senti pior é Anthony.” (pág. 281)

RESUMO SINÓPTICO:

JENNIFER STIRLING é casada na Londres de 1960 e acorda em um hospital após sofrer um acidente de carro. Ao regressar para casa se sente totalmente estranha, não reconhece os amigos e o que dizem sobre sua personalidade, não sente atração nenhuma pelo marido e não se lembra do acidente e do passado anterior a ele.
Passa a vasculhar toda a casa em busca de pistas sobre sua vida anterior. Acaba descobrindo cartas endereçadas à ela e assinadas por “B”. Percebe que estava em um relacionamento extra conjugal e vai em busca de respostas.

ELLI HAWORTH é jornalista e está em fase bem complicada no trabalho, muito desatenta, sem inspiração e com risco de perder o emprego. Tudo pelo fato de estar em um relacionamento com um homem casado e sem perspectiva de continuar, o que a está afetando.
Quatro décadas se passaram após a história de Jennifer,  e Ellen é encarregada de fazer uma matéria sobre a evolução feminina. Se depara com uma das cartas de “B” para Jennifer e vê a possibilidade de fazer um reencontro entre os amantes. O fato a deixa obcecada, mas ela não desiste, pois acredita que pode assim, dar uma solução a seu próprio relacionamento.

O que ela não sabe é que as respostas estão mais próximas dela do que pode imaginar.

ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTORA:

A primeira coisa que quero destacar é o tamanho da fonte dessa edição que dificultou muito a leitura e retardou terminá-la.
Gastei muito dos artifícios usados pela autora, o que já é uma característica dela: história no passado que envolve o presente e de alguma forma fecham o enredo de maneira espetacular. E o uso de cartas.
Gosto demais quando cartas compõe o enredo, não apenas pelo fato de fazer correspondência há quase 40 anos, mas sim pelo fato de serem registros quase nunca levados em conta e que podem desvendar mistérios que permeiam a vida da pessoas envolvidas.
Os dois artifícios trazem a dinamicidade do enredo e envolvem o leitor de uma forma plena e absoluta, fazendo com que acompanhemos cada detalhe e fiquemos na torcida para que tudo seja solucionado da melhor maneira possível.
Como boa romântica fiz aquela leitura de torcida, na esperança que todos os fatos fossem esclarecidos e que Ellie conseguisse desvendar e reunir todo passado de Jennifer.
Algumas pequenas coisas me incomodaram, principalmente nos trechos que se referiam a atualidade. A protagonista parece um tanto perdida em seus próprios problemas e por vezes, sentia que não estava nem aí para mais nada, a não ser o mistério que envolvia a personagem do passado.
Agora toda história que se passa no passado, é totalmente envolvente e conquistador, compensou todos os outros equívocos e tornou a história ainda mais fascinante.
Recomendo para quem gosta de um romance bem construído, com personagens bem definidos e intensos e claro, o melhor, o final com uma reviravolta de tirar o fôlego.

NOTA : 4,00 de 5,00


Emoticon triste



SOBRE A AUTORA:

Jojo Moyes


Jojo Moyes nasceu em 1969 e cresceu em Londres. Estudou jornalismo e foi correspondente do jornal The Independent por 10 anos. Publicou seu primeiro livro em 2002, e desde então dedica-se integralmente à carreira de escritora.

CHEIRINHOS
RUDY


12 comentários:

  1. Oi Rudy! Gosto muito da Jojo e quero muito ler esse livro dela. Gosto de romances que tem cartas na história e sempre suspiro com elas. Pena que a diagramação atrapalhou, mas a história deve ter compensado.
    Espero ler em breve *'*
    Abc

    ResponderExcluir
  2. Ola Rudy, Eu ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro da JOJO MOYES, mas todos os comentários que ouço me deixa com uma imensa vontade de ler, esse livro em especial me parece ser bem romântico e de muita sensibilidade, quero muito ler!!!

    ResponderExcluir
  3. A Jojo é incrível. Eu amo a escrita dela... É sempre muito envolvente e boa faz sentir como se estivéssemos no lugar do personagem. Esse livro dela eu ainda não li, mas pretendo.
    E parabéns pela resenha, Rudy.

    ResponderExcluir
  4. Oi Rudy
    Ainda não tive o prazer de conhecer uma obra desta autora que já está consagrada, fazendo tanto sucesso. Também gosto de histórias que envolvem passado e presente, mas livros com letras pequenas também me desagradam.
    abraços
    Gisela
    www.lerparadivertir.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Rudy!
    Eu amo essa autora, os livros dela são puro romance. A trama desse livro e super interessante e fiquei meia que me perguntando quem será B?!, mas acho que poderia ser alguém que ela conheça antes de perde a memmoria né.Com certeza um livro que vale a pena compra e ler.

    ResponderExcluir
  6. Não gostei muito dos livros da Jojo que li, mas esse tenho muita vontade, ainda mais, por ter cartas.
    Gera um romantismo, algo a mais né?
    Vamos ver se perco a trava que tenho da Jojo, e leio ele logo, e goste! Eu quero gostar de algum livro dela kk porque todos que leio, não curto kkk

    ResponderExcluir
  7. Fontes pequenas são terríveis para a leitura de muitos, acho que as editoras poderiam ter um olhar mais especial para essa questão.
    Também gosto muito de cartas, elas sempre nos trazem um relato particular e que enriquecem o enredo
    Apesar do ponto negativo acho que a história vai me agradar muito.

    ResponderExcluir
  8. Oieee, dos 2 livros que li da Jojo já supõe a qualidade dos demais, ainda n tive oportunidade de ler outro, ganhando esse farei minha parte. Parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu sinceramente, gosto muito desses tipos de capas...acho muito fofas...sei lá...me remete a algo sentimental...hehehe
    Somente li dois livros da Jojo e gostei demais...foi uma leitura super agradável e envolvente...
    Tenho vontade de ler outros livros da autora, então esse está na minha listinha de desejados...
    A história parece ser muito interessante...nossa como eu escrevi cartas nos velhos tempos hehehe...e sinto falta daquela empolgação da espera que a carta chegue ao destinatário e a de resposta...hehehe...certo que e-mail é super rápido e prático...mas não é a mesma coisa...
    Acredito que vou gostar muito dessa história. E hiper curiosa para o final que vc mencionou ser uma reviravolta...ai que ansiedade...
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  10. Os livros da Jojo são ótimos para serem lidos entre leituras mais pesadas. Pelo menos eu os intercalo assim. Esse livro está na minha lista e ainda não consegui ler e espero fazer isso ainda esse ano. A capa é simples e linda, aliás, como todos os livros dela. Gostei da sua resenha.

    ResponderExcluir
  11. Só li um livro de Jojo, mas gostei bastante da forma como a autora conduz sua história. O enredo desse livro parece fascinante e assim como a jornalista fica fascinada por essas cartas, também já me encontro com muita vontade de desvendar essa história de amor.

    ResponderExcluir
  12. Amo os livros da Jojo Moyes, adoro a escrita dela e a forma como os romances dela são bem construídos, quanto as capas, gosto bastante que elas sigam um padrão, acho que ficam lindas na estante, mas confesso que essa não é a minha preferida. Acho bem legal livros que fazem o uso de cartas, é um meio de comunicação que quase não se usa mais e acho bem interessante resgatar isso, só é uma pena as letras serem tão pequenas, isso realmente dificulta muito e parece que a leitura não rende, mas acho que a história compensa esse fato.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Adoro ler seus comentários, portanto falem o que pensam sem ofensas e assim que puder, retribuirei a visita e/ou responderei aqui seu comentário.
Obrigada!!
cheirinhos
Rudy