14/05/2018

DIVULGAÇÃO CULTURAL #60 DIVULGA ESCRITOR

Olá alegres e felizes!


O que existe por trás do Coaching - uma breve história


O crescimento do mercado brasileiro de coaching foi de mais de 300% em um período de quatro anos (2012-2016), segundo a International Coach Federation (ICF). Empresas de recrutamento apontam, que neste ano de 2018, profissões ligadas ao desenvolvimento humano estarão em alta.
De acordo com a International Stress Management Association (ISMA), 72% das pessoas estão insatisfeitas com seus trabalhos. No que diz respeito aos relacionamentos, o Brasil nunca teve tantos divórcios desde 1984, são quase 300 mil separações por ano. Issomostra um descontentamento atual com as relações pessoais. Um forte mercado para o Coaching.
A rápida expansão no Brasil da profissão de Coach merece uma atenção especial principalmente das instituições formadoras. Será que o Coaching já está a exigir uma regulamentação ou uma acreditação institucional que estabeleça regras comuns?Quem faz estes questionamentos é a Dra. Rijarda Aristóteles, Presidente do Institudo de Inteligência Emocional Femininae autora da primeira Metodologia em Coaching Feminino – Caminho das Estrelas.
Nesta entrevista, a Doutoranda em História e Internacionalista especialista na Construção de Cenários, fala da história do Coaching e do futuro da profissão, tema do seu novo livro “Uma Breve História por trás do Coaching”.

Dra. Rijarda, o que a leva a crer que a profissão de Coach está passando por um momento de autoavaliação?
Este momento é o que eu chamo da Terceira Viragem do Coaching.Espaço de tempo relativo à adequação aos paradigmas e às demandas, natural em qualquer profissão. Identifico como um reposicionamento do papel do Coach e das instituições certificadoras. A proliferação de muitos cursos rápidos e, em alguns casos, sem critérios de ensino e prática,temprovocado uma reação dissonante entre qualidade x quantidade. O Coaching não é mágica, não é milagre, não é autoajuda, não é terapia. Coaching é um sistema composto por teoria e ferramentas, apresentado e facilitado por um profissional que deve ser altamente capacitado para que o cliente atinja seus objetivos de vida, por meio da mudança de crenças. É um processo com início e fim, baseado fortemente em resultados concretos e visíveis. É simples e menos glamouroso do que alguns Coaches insistem em comunicar. O Coaching necessita que seus profissionais sejam qualificados e tenham formação acadêmica, para corresponder ao status que lhe conferido pelos resultados. Para ser um profissional qualificado prever-se um alto grau de investimento em conhecimento e autoaplicação. O mercado é um ótimo regulador, porém já não é o suficiente.

Conhecer a raiz da profissão é  importante para ser um bom profissional?
Conhecer a história é o primeiro passo para o tratar ético da profissão. E o Coaching tem uma história rica e como resultado do cruzamento de várias disciplinas. Embora se concentre no hiato de tempo entre o presente e o futuro, é importante que o profissional se sinta ligado a uma produção de conhecimento que valoriza sua profissão. O Coach não é semi deus ativo, mentor ou terapeuta. É um profissional que tem por prerrogativa ser um condutor da Alta Performance para o seu Coachee.

Fica claro em seu novo livro “Uma Breve História por Trás do Coaching”, o pensamento de que a Psicologia e o Coaching são áreas complementares e distintas. Como isso se dá de forma a um processo trazer benefícios ao outro?
O acesso instantâneo e fácil das comunicações, estabelece novos paradigmas e necessidades de respostas mais rápidas, desenvolvendo uma dinâmica própria. Produtos e serviços tendem a se adaptarem aos novos modelos alterando formas de acesso e de respostas. O modelo da busca de soluções centradas na patologia, no sofrimento ou no passado pessoal, sofreu um revés. Hoje busca-se respostas mais rápidas, positivas e de bem-estar. O Coaching emergente, adicionando práticas complementares de outros campos, e sem o constrangimento das práticas clínicas tradicionais, torna-se mais interativo, resolutivo, rápido e orientado para os resultados satisfatórios do  cliente, aparece como a solução. O Coaching,  inclui uma referência explícita aos valores da Psicologia Humanista, de Carl Rogers, da década de 1940/50,que encontra-se de certo modo, com a Positiva, de Martin Seligman, final da década de 1990, por exemplo. Coaching e áreas da Psicologia continuam a conviver o que reflete um aumento ao nível do interesse em ambas disciplinas ou área de trabalho, em usar algumas abordagens mais ligadas ao campos psicológicos e de Coaching, principalmente na terapia breve. Por outro lado, exige-se uma clarificação dos papéis e das atuações dos profissionais, em suas áreas. Os Psicólogos  estiveram presentes no início do caminho do Coaching, quando foram criadas e sistematizadas as teorias e os modelos e continuam como parceiros especiais na jornada dos Coaches, nas adaptações e no desenvolvimento de novos modelos e ferramentas. Enquanto ambos – terapeutas e treinadores – entenderem os limites dos papéis, poderão potencializarem-se nas disciplinas e campos de atuação.

O Coaching não possui regulação acadêmica. É possível mudar isso? De que forma a não regulamentação pode afetar o futuro da profissão?
É possível e necessária a passagem para o próximo nível do Coaching. Ao conhecer, compreender e valorizar a história originária do Coaching, devemos todos – instituições formadoras, Coaches e mercado - haver uma responsabilidade. Nas formações, por exemplo, isso deverá ser evidenciado, como disciplina para que o/a aluno/a conheça a história da profissão e deste modo ressalte a não banalidade do processo e se reconheça quem foi fundamental nesta construção. Os clientes, por sua vez, devem reconhecer a Congruência do Coach. O “Faça o que eu faço” é muito mais eficaz do que “faça o que eu digo”.  O desafio para essa mudança requer do Coaching a humildade para colocar-se como parte integrante de outras disciplinas e de outras práticas, para responder às exigências de distinção de um mercado, ainda em crescimento, sem perder a sua originalidade e eficiência.Os fatores internos são as chaves para o crescimento ou declínio do Coaching. O modelo de difusão e de inovação, servirá para acompanhar as mudanças internas no Coaching ao longo do tempo. O importante é manter o foco 100% no cliente/Coachee e baixar o ego do Coach, colocá-lo, de fato, como coadjuvante no processo. Talvez como resultado desta Viragem Histórica do Coaching devamos criar um protocolo único de diretrizes básicas para a profissão.  Quem sabe o Coaching no Brasil não esteja robustecido para se autorregulamentar por meio de um órgão único, com critérios coletivos e unificados, que possa zelar pela profissão, pelos profissionais e pelos clientes? No meu livro eu apresento uma ideia melhor detalhada sobre esta questão. Acredito sinceramente no presente e no futuro do Coaching.
Considerações finais
“Quanto mais formação e Conhecimento Consciente deste processo, mais coadjuvante nós nos tornamos. O bom treinador  é aquele que se autoaplica o treinamento, com resultados comprovados e mensuráveis. O Coaching é um campo de conhecimento que EXIGE prática. Talvez esta seja a mais recente viragem histórica do Coaching: ao olhar para seu passado reconhecer-se como importante e como um simples “processo” de congruência entre o SER e o TER,  com a autoaplicação por quem ministra ou conduz.É importante abraçar uma definição de Coaching que valorize a ética e os bons propósitos ou valores de vida, onde o processo de atendimento seja de aprendizagem mútuo, que promova a autoconsciência como caminho para o conhecimento consciente e estratégico. No Coaching Feminino Caminho das Estrelas, esta é uma prerrogativa. Se você abraça outra definição, procure trazer para ela a base formadora dos Valores de Vida”.
Trecho do livro Uma Breve História por trás do Coaching – o que você precisa saber para amar a sua profissão - Instituto de Inteligência Emocional Feminina.
Jornalista Vera Moreno
MTE JP 2282/CE




Escritor e jornalista Ronaldo Andrade apresenta 'Eleição de Síndico'

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)
Nascido em Santos (SP), Ronaldo Andrade é jornalista, escritor e fotógrafo. Lançou e participou de coletâneas de contos e poesias. Morou três anos em Portugal, onde escreveu o romance “A mulher do comboio”. Trabalha na Secretaria de Cultura da Prefeitura de Santos e é correspondente na Baixada Santista do jornal Mundo Lusíada, direcionado à comunidade luso-brasileira.
Graduado em Comunicação Social (Universidade Santa Cecília – Santos - SP), pós-graduado em Política e Relações Internacionais (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo - SP) e em Gestão Pública Municipal (Universidade Federal Fluminense - RJ).
“Misturei citações e referências históricas, estereótipos, linguagem popular e cenas do cotidiano político do país, utilizando o humor como forma de crítica, analisando as relações humanas e comportamentos radicais na sociedade brasileira atual.”
Boa leitura!
 Arte reduzida Ronaldo Andrade
Escritor Ronaldo Andrade, é um prazer contarmos com a sua participação na revista Divulga Escritor. Conte-nos, o que o motivou a escrever o livro “Eleição de Síndico”?
Ronaldo Andrade - Há algum tempo observei que o politicamente correto estava pautando as discussões sobre vários assuntos no país. O que inicialmente poderia vir carregado de boas intenções para diminuir diversos tipos de preconceitos acabou indo para um lado intimidador, diria totalitário, no sentido de regular as relações da sociedade, até mesmo a linguagem, conforme agendas e cartilhas ideológicas que, por meio de um “discurso do bem”, intimida quem delas discordar, o que vem a ser prejudicial para a vida em sociedade.

Quais os principais objetivos a serem alcançados por meio do enredo que compõe a obra?
Ronaldo Andrade - Minha intenção é propor um diálogo equilibrado sobre as questões que permeiam a vida em sociedade, em debates em que predominam argumentações no campo das ideias. Se deixarmos de lado a razão, munidos somente com paixões e visões ideológicas das quais concordamos, não escutando o outro lado – sem a obrigação de concordar, mas apenas ouvir, para tentar ao menos compreender quem pensa diferente – a convivência tende a se tornar mais difícil, tensa e carregada de conflitos.
Penso que os extremos, sejam de quais campos ideológicos forem, acabam por dificultar o diálogo; acredito que a moderação, indo rumo ao centro, seja o melhor caminho para tentar estabelecer, se não um denominador comum, uma maneira mais eficaz de conviver com as diferenças, respeitando a diversidade existente na sociedade.

Quais os principais desafios para a escrita do livro?
Ronaldo Andrade - Prazos! [Risos] Especialmente na sociedade atual, que está constantemente bombardeada por imagens e por redes sociais, fazendo com que o tempo para a escrita e leitura seja mais corrido, ou seja, sem a maturação necessária para a absorção e reflexão das ideias propostas numa obra.

Qual o momento que mais o marcou enquanto escrevia “Eleição de Síndico”?
Ronaldo Andrade - Perceber que o que eu observava em relação à sociedade era, de fato, o que estava acontecendo; um dos principais aspectos do livro é analisar menos a questão do conteúdo do debate dos principais temas que o país vem discutindo, mas principalmente a forma como isso vem ocorrendo, com intensa polarização e radicalização que acaba gerando discursos de ódio, fake news, desonestidade intelectual e relativização moral e cultural, que prejudicam o debate saudável.

Quais temáticas estão sendo abordadas nesta obra literária?
Ronaldo Andrade - Intolerância política, religiosa e de pensamento, masculinismo, machismo, feminismo, femismo, racismo, homofobia, ideologia de gênero, misoginia, misandria, patriarcado, vegetarianismo, questão animal, direita x esquerda, conservadores x progressistas, censura x boicote, mídia tradicional x mídia alternativa, parcialidade x imparcialidade, fake news. Escrevi em formato de texto dramático, onde os personagens (Feminista, Homossexual, Negro, Ambientalista / vegetariano, cachorreira / gateira, #Kontraosystemma, Religioso e Ciclista), terão de eleger o novo síndico. Misturei citações e referências históricas, estereótipos, linguagem popular e cenas do cotidiano político do país, utilizando o humor como forma de crítica, analisando as relações humanas e comportamentos radicais na sociedade brasileira atual.

A quem indica a leitura?
Ronaldo Andrade - A quem deseja obter uma visão, para acrescentar a outras, sobre o zeitgeist (espírito de nossa época) em diversos aspectos das discussões dos temas que interessam à sociedade. Decidi escolher como pano de fundo para falar dessas questões uma reunião de condomínio – quem já participou sabe como os ânimos podem ficar exaltados, com várias opiniões e diferenças de ponto de vista! Mas os condôminos, assim como os eleitores ou uma população de um país, estão no “mesmo barco”, ou seja, devem buscar soluções para tornar a vida em comum menos conflituosa e mais satisfatória. Do contrário, o barco afunda, o que será prejudicial a todos.

Quem desejar como deve proceder para comprar o livro?
Ronaldo Andrade - Pode entrar em contato por meio da página do Facebook do livro, Eleição de Síndico (www.facebook.com/eleicaodesindicoronaldoandrade ), do site da Chiado Editora (www.chiadobooks.com) e também pelo meu e-mail: ronaldo_andrade2005@hotmail.com

Quais os seus principais objetivos como escritor?
Ronaldo Andrade - Muito mais do que divulgar uma ideia, uma obra, escrever para mim é uma maneira de expressar meu olhar sobre aspectos da vida, exercitar a observação. Costumo dizer que “a vida se faz no cotidiano”: por exemplo, muitas vezes esperamos um ano inteiro para viajar, num roteiro que pode durar apenas uma semana; esperamos quatro anos para ver a Copa do Mundo; essas são as cerejas do bolo da vida. A maior parte de nosso tempo é passada na rotina do dia a dia, e por isso procuro fazer dela um “lugar” agradável para se viver, seja convivendo com as pessoas das quais gostamos, ler um livro ou simplesmente caminhar na praia. Desta forma, observar os movimentos do cotidiano me auxilia na escrita, o que, acredito, colabora para que o leitor se identifique com o meu texto.

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor Ronaldo Andrade. Agradecemos sua participação na Revista Divulga Escritor. Que mensagem você deixa para nossos leitores?
Ronaldo Andrade - Deixo um grande abraço aos leitores, convidando-os a conhecer meu livro “Eleição de síndico” e também as obras de outros autores, pois é muito gratificante ter o nosso trabalho lido, independentemente de críticas positivas ou negativas, e terem contato com a nossa forma de se expressar. Agradeço a Deus, minha família, aos amigos do Brasil e de Portugal e a Chiado Editora, na pessoa de seu fundador e CEO, Gonçalo Martins, por me ajudarem a realizar este sonho, e também à Revista Divulga Escritor por divulgar minha obra aos seus leitores.

Divulga Escritor, unindo você ao mundo através da Literatura
Quer ser entrevistado pela equipe Divulga Escritor? Entre em contato com o nosso editorial, apresentaremos proposta: divulga@divulgaescritor.com
Todo nosso conteúdo pode ser publicado em sites/blogs/portais... sem custos para o editor, só citar a fon



Apresentamos 34ª edição da Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia

Em homenagem as mamães apresentamos a 34ª edição da Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia, uma edição belissima, repleta de homenagens, textos, entrevistas, livros...
Agradecemos a participação de todos literários participantes desta edição.
Quem desejar participar da próxima edição já estamos recebendo conteúdo para análise, e apresentação de proposta.
Divulgamos livros, editoras, eventos, textos em prosa e em versos...

E-mail do nosso editorial
smccomunicacao@hotmail.com

Abaixo link para acesso gratuito a revista:

A todas mamães, parabéns! 
Boa leitura a todos.
Sejam bem-vindos!

https://issuu.com/smc5/docs/34_divulga_escritor_revista_liter_r

cheirinhos
Rudy


PENSAMENTO DO DIA: 


"De todos os presentes da natureza para a raça humana, o que é mais doce para o homem do que as crianças?." (Ernest Hemingway)

Comenta imagem 6

10 comentários:

  1. Não sei se entendi com clareza o que isso significa kkkk... na vdd entendi, so não sei ss compreendi o público alvo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Halana!
      Dá uma pesquisada, é o momento de ascensão profissional.
      GRATIDÃO!
      Um maravilhoso final de semana!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  2. OOi Rudy!
    Bacana a divulgação, eu não curto mto os gêneros, mas pra quem gosta é um prato cheio.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline!
      GRATIDÃO!
      Um maravilhoso final de semana!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  3. Realmente só se ouve falar em coaching ultimamente, todo mundo resolver se preparar pra isso. Conheço várias pessoas que se debruçaram a estudar e se preparar. É preciso conhecer melhor essa área. A revista está incrível, cheia de coisas legais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evandro!
      Quando abre uma nova oportunidade, todos querem aproveitar, não é mesmo?
      GRATIDÃO!
      Um maravilhoso final de semana!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  4. Muito legal esse post de divulgação, só me interessei pela revista!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucia!
      GRATIDÃO!
      Um maravilhoso final de semana!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  5. Livro diferente e interessante,acho que leria se tiver a oportunidade.
    Bacana falar sobre coach, que tem ajudado a carreira de tantos profissionais.
    bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana!
      Bacana, né?
      Obrigada por comentar.
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir

Adoro ler seus comentários, portanto falem o que pensam sem ofensas e assim que puder, retribuirei a visita e/ou responderei aqui seu comentário.
Obrigada!!
cheirinhos
Rudy