15/01/2017

RESENHA #04 - “O PRESENTE IDEAL” & “PEQUENO MILAGRE” - SHERRYL WOODS & LINDA HOWARD

LIVRO: “O PRESENTE IDEAL”  & “PEQUENO MILAGRE”
SÉRIE: PRIMEIROS SUCESSOS ED.066
TÍTULO ORIGINAL: “THE PERFECT HOLIDAY” & “ BLUEBIRD WINTER”
TRADUÇÃO: GRACINDA VASCONCELOS
AUTOR(AS): SHERRYL WOODS & LINDA HOWARD
EDITORA: HARLEQUIN BOOKS
PÁGINAS – 256
1ª  EDIÇÃO 2015
CATEGORIA: ROMANCE DE BANCA
ASSUNTO: ROMANCE



CITAÇÃO: “-Não se pode voltar no tempo e mudar o que aconteceu – lembrou-a Trace. – Apenas se pode aprender com os erros e seguir em frente.” (pág. 94)


ANÁLISE TÉCNICA:


-CAPA-

Casarão a beira de um lago com jardim florido e árvores ao redor, céu azulado.
A capa é linda e retrata uma das histórias do livro.
Arte-final da capa: Isabelle Paiva

(nota: 5,00 de 5,00)


-DIAGRAMAÇÃO:

Folhas de papel reciclado e letras pretas medianas. (Nas duas histórias)

O PRESENTE IDEAL

São dez capítulos apenas numerados.

PEQUENO MILAGRE

São nove capítulos apenas numerados.

 A diagramação é simples, porém eficiente. Nada de luxo, entretanto, o leitor se delicia com as histórias. O bom do livro é que é em formato de bolso e dá para levar para qualquer lugar.

Formato                              10.7X17 cm 
       
Diagramação: Babilonia Cultura Editorial

Impressão: RR DONNELLEY

(nota: 4,00 de 5,00 )


- ESCRITA:

O PRESENTE IDEAL & PEQUENO MILAGRE

Narrativa descritiva em 3ª pessoa não identificada e diálogos dinâmicos.
Escrita fluida e rápida para leitura com bom entendimento. Consegue transmitir todos os sentimentos das personagens de forma intensa e a descrição dos locais onde as histórias são ambientadas é fabulosa.
Ainda hei de ver uma correção perfeita nesses livros, mas por enquanto, alguns erros ainda foram encontrados, tanto de ortografia quanto de concordância, mas nada que atrapalhe a leitura ou o entendimento.

 (nota: 4,00 de 5,00)


CITAÇÃO: “[...] Mesmo durante a noite, o sol brilha em algum lugar. Mesmo durante o inverno mais frio, há pássaros azuis em algum lugar. Este é meu pássaro azul para você, querida, assim sempre terá seu pássaro azul por mais frio que o inverno seja. [...]” (pág. 249)


RESUMO SINÓPTICO:

O PRESENTE IDEAL

Savannah Holiday morava na Flórida com a filha Hannah, uma linda criança de 8 anos e olhos azuis, onde o sol brilha quase o ano inteiro. Savannah tinha de se virar para conseguir o sustento de Hannah, já que o pai nem queria saber da menina, muito menos sustentá-la...
Havia se afastado de toda família após o casamento e levou o maior susto quando recebeu um telefonema, justo no Dia de Ação de Graças, que havia herdado a Holiday Retreat da sua tia-avó Mae em Vermont. A propriedade havia sido construída em 1800 e tia Mae a tinha transformado em uma pousada, principalmente durante a estação de inverno, onde a neve caía linda, deixando tudo branquinho.
Ao chegar na propriedade viu que a mesma precisava de vários reparos e tinha de ser econômica, já que o dinheiro estava curto e tinha muito a fazer, porém, o brilho dos olhos da filha compensava qualquer sacrifício. Pela primeira vez Hannah observava a neve e sorria após um ano de cara fechada e mau humor, devido a separação dos pais.
Trace Franklin recebeu a chave da pousada pela mão dos advogados de Mae e com uma carta informando que deveria estar naquela data específica por lá e com suprimentos para abastecer a despensa que estava vazia. Ao chegar no Holiday Retreat, Trace se assusta ao ver que a chaminé está ligada e as luzes da pousada acesas... que será que estava acontecendo?
Trace, hoje,  é um empresário bem sucedido, dono de uma fábrica de brinquedos: Franklin Toys, porém nem sempre foi assim... Teve uma infância sofrida, onde a mãe trabalhava dobrado para sustentar o malandro do pai que além de maltratá-la, exigia cada vez mais, a ponto de deixar os filhos relegados.
Mae entrou na vida de Trace quando ele foi passar umas férias na pousada, ainda no início da carreira e tornaram-se amigos. Mae foi a primeira pessoa em investir no sonho de Trace e tornou-se sócia na fábrica de brinquedos.
Savannah se assusta ao ver aquele homem lindo sentado em sua cozinha e com a chave da pousada na mão. Trace se assusta ao ver aquela pequena mulher derrubar uma fornada quente de biscoitos. Ambos acabam deduzindo que mesmo após a morte de Mae, ela havia aprontado, porque ninguém merecia passar o Natal sozinho...

PEQUENO MILAGRE

Kathleen Fields morava sozinha em sua pequena propriedade a beira da estrada de Oklahoma após o vagabundo do marido tê-la deixada grávida e sem nada, dinheiro nenhum... ele levou tudo ao partir. Agora estava grávida e prestes a ter sua filha. A neve dominava tanto a propriedade como a estrada e quando a bolsa estourou antes do tempo previsto, a única forma que Kathleen encontrou de salvar a vida da vida, foi enfrentar a enorme nevasca para tentar chegar ao hospital mais próximo que ficava há mais de 20km de sua casa...
Cheia de contrações, pegou seu carro velho, as coisas do bebê e foi... Não conseguiu avançar nem um quilômetro na estrada e patinou, caindo em uma vala... Cheia de dores e sem esperança, ficou quieta dentro do carro, pedindo a Deus que salvasse sua filhinha... afinal, era dia de Natal!
Derek Taliferro era um bem sucedido médico, especialista em partos difíceis, onde as crianças corriam risco de vida. Era um homem totalmente realizado profissionalmente e muito cobrado pelos pais por ainda não ter encontrado uma mulher que o fizesse feliz e lhes desse netos.
Estava retornando para o hospital, após uma visita aos pais em Oklahoma, não queria passar o Natal longe de seus pequenos pacientes que precisavam de seus cuidados. O que ele não esperava era ter de enfrentar tamanha nevasca. Vinha devagar com seu jeep 4x4, no maior cuidado para não sair da estrada, quando se depara com um carro parado dentro de uma vala. Estaciona e vai inspecionar o veículo e tem o maior susto ao ver uma mulher grávida, em sofrimento para parir... Começa a tomar todas as providências sem nem dar chance a Kathleen para pensar...
Kathleen fica surpresa ao ver Derek tentando ajuda-la. Era um milagre. Informa que mora há 500m de onde estavam e que estava indo para o hospital. Derek constata que não dá tempo de chegar até lá e resolve leva-la para casa, onde improvisa o parto com rapidez para que a criança não entre em sofrimento.
O parto não foi fácil, a bela menina nasceu e Derek constatou que ela estava bem, embora fosse menor do que os bebês normais. Ficou apaixonado com a vitalidade da pequena Sara Marisa em sugar o peito da mãe para acalmar sua fome constante. Teve a certeza de que aquele bebê e sua mãe seriam dele de alguma forma.
Após uma noite de descanso, Derek resolve levar mãe e criança para o hospital Sara apesar de bem, precisava de cuidados em uma incubadora para ganhar peso mais rápido. Kathleen informa que não tem dinheiro para manter a pequena Sara em um hospital especializado e Derek informa que será responsável por ela e Sara para o resto da vida...
Descobrem juntos que o amor é o maior presente de todos... no dia de Natal!


ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTOR(AS):

Gente! Ainda estou suando para fazer as duas resenhas juntas, como é difícil, mas vamos lá...

Vou falar rapidinho para não tornar a resenha longa e cansativa para vocês.

O PRESENTE IDEAL

Nessa história o que podemos perceber é o grande amor de uma tia pelas duas pessoas que mais ama na vida. Deixou tudo preparado para o encontro deles após sua morte, na esperança que encontrassem o amor e vivessem felizes no lugar que foi mais importante para ela.
Cada protagonista tem seus próprios traumas e tem de superar de uma forma ou de outra em memória a tia que foi tão importante para ambos em vida.
Poder ler um romance onde em poucos dias um vai conquistando ao outro e ainda tem uma criança envolvida, cheia de planos e sonhos, é reconfortante ver que a ideia original em unir ambos deu certo.
Gosto demais de romances e com finais felizes ainda melhor.
Não é uma leitura profunda, mas tem algumas surpresas e pequenas reviravoltas, mas que no final, dá certo.


PEQUENO MILAGRE

Aqui fiquei totalmente surpresa e encantada com o protagonista. Ele é um fofo, todo carinho, atencioso e se apaixona a primeira vista, tanto por mãe, como pela filha, já que foi ele quem a trouxe ao mundo.
Conseguimos perceber a resistência da protagonista se desfazer em questão de dias e ela se render totalmente aquele homem fabuloso que estava lhe proporcionando, não apenas segurança para filha, mas também...amor!
Uma história emocionante, sentimental e que prova: milagres existem e devem ser vividos em sua plenitude sem nem ao menos questionarmos o por quê...

O que mais gosto nesses romances são justamente a forma despretensiosa como suas autoras nos trazem histórias lindas, onde não precisamos pensar muito, apenas apreciar uma boa e rápida leitura, carregada de amor tipo ‘água com açúcar’.
Mais que recomendado, principalmente após leituras intensas, onde sentimos o peso da leitura. Li no final do ano passado e em época bem propícia para constatar que milagres realmente acontecem e com uma simples leitura...

NOTA : 4,40 de 5,00

Emoticon triste


SOBRE O AUTOR(AS):


SHERRYL WOODS

Sherryl Woods

Quando o primeiro romance de Sherryl Woods foi publicado, em 1982, os seus colegas jornalistas passaram muito tempo a ler as passagens eróticas que ela escrevera. O que Sherryl diz é que essas cenas de amor eróticas não eram a essência do romance. Ser romântico é muito mais do que isso: «São relações profundas e permanentes, como encontrar a cara-metade, formar uma família, manter um compromisso e, certamente, sobre sexo entusiasta e apaixonado». Depois de escrever mais de 70 livros, esta prolífica autora continua a pensar da mesma forma. Esta é a razão pela qual continua a acreditar neste género. Sherryl Woods nasceu em Arlington, na Virgínia, formou-se em Jornalismo na Universidade de Ohio e trabalhou para vários jornais em diversas áreas. Finalmente, especializou-se em televisão e tornou-se editora nas televisões locais de Ohio e Florida. Em 1980, deixou o trabalho de editora na televisão para se dedicar à escrita, mas viu-se de novo a coordenar um programa de televisão para dar trabalho a oito mil pessoas. Dois anos depois, publicou o primeiro romance e as editoras começaram a pedir mais. Em 1986, dedicava-se inteiramente à escrita. Sherryl sente que os seus dotes naturais para escrever romances se devem, em parte, ao seu trabalho anterior: «O jornalismo ensinou-me a ser concisa e clara como escritora, mas também me ensinou a ser uma grande observadora da natureza humana». Actualmente, divide o tempo entre a casa de praia na Florida e a casa de Verão de infância junto ao rio em Colonial Beach, na Virgínia, onde trabalha na sua própria livraria, mantendo-se em contacto com as pessoas que realmente importam, as leitoras.

LINDA HOWARD

Linda Howard

A ler ou a escrever, os livros tiveram sempre um papel importante na vida de Linda Howard. Começou por ler Margaret Mitchell, Robert Ruark e “qualquer outra coisa que caísse nas minhas mãos” e agora concentra-se nas histórias românticas. “A política, o caos e o assassinato aborrecem-me”, diz ela.
Linda Howard escreveu o primeiro romance quando tinha dez anos. “Claro, era impublicável. Nem sequer tinha título, porque na altura não os punha”. Os vinte e um anos que se seguiram foram passados a escrever por prazer, enquanto trabalhava na indústria dos transportes.
“Na empresa onde trabalhava, o meu cargo era o de secretária do director administrativo, mas na verdade fazia muito poucos trabalhos de secretária”, diz ela. “Trabalhava em todas as fases do transporte, porém as minhas grandes obrigações eram tratar das folhas de pagamento, dos seguros e dos relatórios de produção”.
Todavia redigir relatórios de produção aborreceu-a rapidamente. Continuava a escrever por prazer e, finalmente, um dia, ganhou coragem para enviar um manuscrito para uma editora. “Fiquei doente, literalmente, fisicamente doente. Era como pôr um filho na caixa do correio. Perdi dez quilos à espera de uma resposta. Não conseguia comer”.
Linda Howard não devia ter-se preocupado tanto, porque a Silhouette comprou o manuscrito e deu início a uma carreira duradoura e fê-la receber vários prémios e muitas cartas de admiradores. Fizeram-se mais de um milhão de exemplares em todo o mundo e publicou mais de vinte e cinco títulos.
Linda escreveu para a Silhouette Special Edition e continua a escrever para a Silhouette Intimate Moments. Além disso, aparece na lista de autores de best-sellers do New York Times, na categoria de livros de bolso históricos.
Para além do sucesso editorial, Linda foi muitas vezes elogiada, tanto pelos críticos, como pelos seus colegas. Ganhou o prémio B. Dalton de best-sellers, o prémio da crítica da revista Romantic Times por uma série e o prémio WISH pela personagem Joe Mackenzie, em Mackenzie’s Mission, publicado pela Silhouette Intimate Moments. Este romance chegou ao número sessenta e um na lista de best-sellers da revista USA Today.

Premiada pela Associação de Escritores Americanos de Novelas Românticas e nomeada para o Golden Choice, é uma habitué dos prémios Waldenbooks de melhor autor de best-sellers, tendo ficado em primeiro lugar várias vezes.


O LIVRO ESTÁ NO SORTEIO DO HOJE É QUINTA/DIA DE SEBO. PARTICIPEM!



CHEIRINHOS
RUDY



PENSAMENTO DO DIA:

"A sabedoria com as coisas da vida não consiste, ao que me parece, em saber o que é preciso fazer, mas em saber o que é preciso fazer antes e o que fazer depois." (Leon Tolstoi)




9 comentários:

  1. Realmente não deve ser muito fácil fazer duas resenhas de uma só vez.
    Mas com toda certeza conseguiu nos passar duas histórias de amor lindas e que deixam nossos corações bem leves e acreditando no amor.

    A segunda resenha me chamou mais à atenção!
    Gosto de histórias onde os personagens masculinos são leais e companheiros.
    Sem contar a capa que está linda!

    ResponderExcluir
  2. Que lindos!!!
    Adorei, já quero!!
    Amooooo esses romances mais curtos, mas com história bem tramada e muito amor, desafios e sonhos, e final feliz!
    Final feliz sempre kkkk
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Parecem ser ótimas histórias! Ler é como viajar internamente num mundo de infinitas adaptações particulares! Parabéns pelo incentivo!!! Abraços!!!

    ResponderExcluir
  4. Rudy! Que lindos! Realmente são histórias pra tirarmos lições, excelentes!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Rudy,
    Adoro ler,mas sou uma leitora meio lenta,por causa do blog. gostei da dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Rudy!
    Assim como a Betty, eu tb estou um pouco lenta nas leituras. Gostaria de ter muito mais tempo p/ler.
    Bjsssss e uma semana muito abençoada p/vcs

    ResponderExcluir
  7. Oi Rudy! Adorei as resenhas! Deve ter sido mesmo bastante trabalhoso resenhar duas histórias ao mesmo tempo! Nunca li nenhum livro da Harlequin, acredita?! Romances água com açúcar não são a gênero literário que mais amo, mas de vez em quando gosto de ler um, deixa o nossos corações e mentes mais leves! Gostei de ambas as histórias, principalmente porque as protagonistas femininas são mulheres fortes, batalhadoras e independentes e, os homens são carinhosos e companheiros. Me pareceu ser um livro com histórias leves, fluidas e deliciosas, mas que nos trazem grandes lições! Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Suas resenhas foram otimas, da vontade de ler, ja vai para a lista

    ResponderExcluir
  9. O legal desses livros é que saem por um ótimo preço e ainda mais esse com duas estórias. A capa realmente é bem legal, e que pena esses errinhos, embora não atrapalhem tanto como disse, sempre é um incômodo. Parece duas leituras leves, porém prazerosas. Gostei.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir

Adoro ler seus comentários, portanto falem o que pensam sem ofensas e assim que puder, retribuirei a visita e/ou responderei aqui seu comentário.
Obrigada!!
cheirinhos
Rudy