22/01/2017

RESENHA #06 - “A MENINA SUBMERSA – MEMÓRIAS” - CAITLÍN R. KIERNAN

LIVRO: “A MENINA SUBMERSA – MEMÓRIAS”
TÍTULO ORIGINAL: “THE DROWNING GIRL”
AUTORA: CAITLÍN R. KIERNAN
TRADUÇÃO: ANA RESENDE E CAROLINA CAIRES COELHO
EDITORA: DARKSIDE BOOKS
PÁGINAS – 317
1ª  EDIÇÃO 2014
CATEGORIA: LITERATURA AMERICANA
ASSUNTO: FICÇÃO/FANTASIA
ISBN: - 978-85-66636-25-3



CITAÇÃO:

“[...] “Nenhuma história tem começo e nenhuma história tem fim. Começos e fins podem ser entendidos como algo que serve a um propósito; a uma intenção momentânea e provisória, mas são, em sua natureza fundamental, arbitrários e existem apenas como uma ideia conveniente na mente humana. As vidas são confusas e, quando começamos a relacioná-las, ou relacionar parte delas, não podemos mais discernir  os momentos precisos e os objetivos de quando certo evento começou. Todos os começos são arbitrários.” (págs. 17/18)

ANÁLISE TÉCNICA:

-CAPA-

Capa dura com uma cigarra no centro envolta ao que parece uma moldura cinza e preta.
A capa é um verdadeiro luxo, olhando a lombada e ambos os lados, temos a impressão de ser um baú(?). 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Bem enigmática, sem dar pistas do que encontraremos dentro da obra.
Capa e projeto gráfico Retina 78.

(nota: 5,00 de 5,00)


-DIAGRAMAÇÃO:

As folhas são amareladas com letras um pouco abaixo da média e lombada rosa. O fato das letras serem ‘pequenas’ dificulta um pouco a leitura.


Conteúdo: dedicatória; pensamentos; dez capítulos numerados em romanos e com o título do livro e nome da autora, o que muda apenas é a ilustração acima de cada capítulo que traz um inseto diferente; últimas páginas (partes do diário da protagonista); e,  nota da autora. (Os capítulos longos dificultam um pouco a leitura).

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Nenhum texto alternativo automático disponível.
Nenhum texto alternativo automático disponível.

O livro tem inúmeras ilustrações.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
A imagem pode conter: área interna
A imagem pode conter: desenho

Diretor Editorial: Cristiano Menezes.
Diretor de Marketing: Chico de Assis.
Editor Assistente: Bruno Dorigatti.
Impressão e acabamento: Geográfica.

(nota: 4,00  de 5,00 )


- ESCRITA:

É uma narrativa altamente descritiva em primeira pessoa pela protagonista Imp, ela se utiliza do artifício de escrever algumas partes em forma de diário que se confundem os  próprios pensamentos da mesma.
Em vários trechos do livro a leitura se torna arrastada, monótona e em alguns pontos até torturante por não conseguirmos identificar a realidade e os devaneios da protagonista.
A correção está perfeita, nenhum erro encontrado.
Revisão: Marlon Magno, Nova Leitura e Retina Conteúdo.

(nota: 3,50  de 5,00)

CITAÇÃO:

“Fantasmas são essas lembranças fortes demais para serem esquecidas, ecoando ao longo dos anos e se recusando a serem apagadas pelo tempo. [...]” (pág. 23)


RESUMO SINÓPTICO:

INDIA MORGAN PHELPS ou simplesmente Imp, como gosta de ser chamada, vive em constante conflito contra o histórico genético de sua família: esquizofrenia e paranoia. A mãe e avó cometeram suicídio por não suportarem a ‘loucura’ que as dominava. Imp se apega a pintura, a música através dos vinis deixados pela mãe e dos livros para combater e lutar contra a maldição da família Phelps. E ainda tenta entender o que aconteceu para o término de seu relacionamento com a ex-namorada Eva Canning.
Ao vagar pelas obras de arte, uma está constantemente a assombrá-la: A menina Submersa de Phillip George Saltonstall. Desde a infância a obra a atrai e a faz ter uma visão deturpada a cada apreciação. O que deixa a dúvida se realmente esta ou outras obras citadas, são realmente verdadeiras ou apenas fruto da imaginação dela.
Resolve escrever uma história de fantasmas... Em seus relatos explica o que entende ser: fantasmas e comunica aos possíveis leitores de seus escritos que seus relatos podem não ser tão verdadeiros, já que sua mente e memória são falhas e invadidas por alucinações e pensamentos adversos de forma constantes...As lembranças são embaçadas e confusas...
Deixa de tomar os remédios prescritos e para a emergir cada vez mais em um mundo esquizoide, paranoico e alucinativo e a namorada tenta resgatá-la de todo seu surto.

CITAÇÃO:

“Voei na forma de um corvo da palavra profética. Foi uma coisa que li. É de um poeta galês que se chama Taliesin.” (PÁG. 80)


ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTORA:

Tinha  a maior vontade de ler um livro da editora porque a editoração dos livros são lindas e únicas e nesse sentido, o livro não deixou nada mesmo a desejar, a não ser pelas pequenas letras, tortura para a leitura.
Mesmo entendendo um pouco o mundo apresentado pela autora, já que estudei psicologia, o livro foi bem maçante na leitura. Entrar no mundo alucinatória da protagonista foi uma jornada no mínimo tortuosa, ao tempo que instigante, queria saber onde chegaria.
“Viajar” no mundo confuso e sem sentido de Imp trouxe apenas profundo conhecimento sobre o mundo das artes e a conclusão que: todos somos ‘anormais’ e não apenas por fatores genéticos, mas também através das vivências que temos.
A leitura é bem confusa por não ter um nexo, não manter uma narrativa linear, tem momentos que não identificamos realidade ou paranoia e acabamos nos sentindo a própria ‘menina submersa’... E além de todos esses elementos, ainda são incluídos seres fantasiosos e abstratos que traem a leitura um tom de fantasia.
Na verdade me surpreendi com o livro. Não que ele seja ruim, não é isso, mas a forma como foi escrito, a forma como a autora leva o enredo de maneira a comover quem o lê, tornou o livro um tanto insano, diferente e em certo ponto tenso, sufocante e  me tirou da zona de conforto. Fiquei bem incomodada com vários aspectos da leitura e por esse motivo, refleti muito até chegar aqui e poder fazer essa análise.
É um livro que mexe muito e de várias formas com o leitor, portanto, só entre nessa ‘viagem’ se realmente se sentir seguro de que pode suportar o mundo incógnito que a mente humana tem e nos faz questionar a sanidade...caso contrário ficará totalmente abalado psicologicamente.

CITAÇÃO:

“Quase se afogou, é o que eu estou dizendo. Bem, em Clamor do Sexo, a água acima da represa também era escura.” (PÁG. 279)

NOTA : 3,70 de 5,00

Emoticon triste



SOBRE O AUTORA:

Resultado de imagem para ESCRITORA CAITLÍN R. KIERNAN


Caitlín R. Kiernan (1964) é autora de livros de ficção científica e fantasia dark, e paleontóloga. Escre- veu dez romances, dezenas de histórias em quadrinhos e mais de 200 contos e novelas. Entre seus trabalhos, destacam-se os romances Silk (1998), Threshold (2001), ambos vencedores do International Horror Guild Award, e The Red Tree (2009); a série em quadrinhos The Dreaming, spin-off de Sandman, de Neil Gaiman, com quem também escreveu a novelização de Beowulf (2007). A Menina Submersa: Memórias conquistou os Prêmios Bram Stoker e James Tiptree, Jr., este dedicado a obras de ficção científica ou de fantasia que expandem e exploram a compreensão de gênero.



cheirinhos
Rudy


PENSAMENTO DO DIA:


"É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer." (Aristóteles)






17 comentários:

  1. A edição d Darkside do livro,é um espetáculo.
    A história que me parece bem controversa e confusa!

    ResponderExcluir
  2. Oi Rudy! A Menina Submersa é um livro que eu estou desesperadamente louca pra ler!!!! Primeiro porque a capa é linda (aliás, sou super fã da editora Darkside, porque além de publicar muitos títulos de gêneros que adoro, como o terror, também faz essas capas maravilhosas e com uma diagramaçao impecável!), segundo porque sempre fiquei curiosa lendo a premissa que fala de uma garota que pode ou não sofrer de esquizofrenia...
    Acredito que a narrativa não linear, além de confusa e sem nexo que você citou seja proposital, talvez a intenção da autora seja mesmo transportador o leitor para a mente de um esquizofrênico paranóico. Outro fato que me deixou ainda mais instigada, e que eu não fazia idéia foi a autora ter trazido um bom aprofundamento no mundo das artes ao leitor. Adorei a resenha! Beijão!

    ResponderExcluir
  3. oi Rudy
    Este não era um livro que queria ler da editora, agora então não quero mesmo. Não sou chegada a estes desvaneios psicológicos.
    abraços
    Gisela
    www.lerparadivertir.com

    ResponderExcluir
  4. Olá querida! Só agora retribuindo o carinho que vc tem lá com o blog. Esse livro é super intrigante, e eu amei a citação!

    Bjs <3

    ResponderExcluir
  5. A capa é linda, e a história e´beeeeem diferente e original, mas eu particularmente não tenho coragem de ler kkkkk aaaaii fico chocada com livros meio insanos e profundos assim rsrsrs
    bjão

    ResponderExcluir
  6. Resenha linda Rudy!
    O livro pra mim está impecável...Da capa ao enredo...td!
    Louca pra ler!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Já tinha visto o livro por aí, mas ainda não tinha lido uma resenha. Realmente se aventurar nesse livro parece mergulhar em um abismo. Eu o leria, com certeza, até porque os livros da dark sempre primam pela qualidade e o enredo parece interessante, embora possa se mostrar confuso.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  8. A diagramação é realmente perfeita, um livro lindo.Pela sua resenha pude perceber que é uma história bem pesada, eu imaginava algo de terror, mas me enganei, é algo que mexe com o psicológico do leitor. Fiquei bem curiosa para saber se namorada da protagonista consegue salvá-la. Uma pena que as letras sejam muito pequenas e os capítulos longos, também não gosto tanto. Mesmo com seus pontos negativos tenho muita vontade de conferir a obra.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  9. Darkside sempre arrasando nas edições. Com esse livro não foi diferente, essa lombada é um verdadeiro show na estante. Quero ler, a estória me chama a atenção por se tratar de uma menina esquizofrênica, e por isso algumas partes sejam confusas, já que a autora parece investigar bem a cabeça da personagem e seus pensamentos.

    ResponderExcluir
  10. As edições da DarkSide sempre são muito lindas! Menina Submersa é um livro que quero ler já faz um tempinho, vejo vários blogs falando super bem dele e minha curiosidade aumenta cada vez mais, sem contar que adoro histórias em que os personagens não são muito normais ou possuem algum tipo de doença, principalmente doenças psicológicas, enfim, parece ser um livro muito e não vejo a hora de poder lê-lo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. O livro muito lindo desde da capa ,muito interessante...

    ResponderExcluir
  12. Esse tipo de livro é o máximo, que capa chic. Adoro ler em folhas amarelas, é mais suave e gostoso de ler. Já a história cheia de traumas deve ser interessante, vamos conferir é claro.

    ResponderExcluir
  13. A capa é linda de mais, e a história me parece muito forte, eu nunca li nada do tipo, mas tua resenha me instigou.
    Charme-se

    ResponderExcluir
  14. Oi.
    Gosto bastante desse tipo de livro, mas confesso que não sabia que seria tão confuso, vir muitas criticas mas ainda espero ler.
    A coisa toda da personagem ser bem perturbada me deixou curiosa, por que acho interessante sair um pouco da minha zona de conforto, vou ler com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Desde que vi esta capa amei demais mas com tanta coisa a fazer me voltava de vez em qdo à cabeça,Com certeza leria pq dramas e psicológicos me atraem sobremaneira

    ResponderExcluir
  16. Que capa maravilhosa, não é atoa que a Darkside é muito bem falada. Em geral odeio diario ou qualquer livro que tem essa base como escrita, mas vou arriscar lendo esse, a história me intrigou.

    ResponderExcluir
  17. Apesar de todos os avisos e de já ter lido algumas resenhas negativas, me aventurei a ler e acabei gostando. Talvez por ele ser tão diferente do "normal", quem lê acaba amando ou odiando e felizmente no meu caso, adorei a leitura.

    ResponderExcluir

Adoro ler seus comentários, portanto falem o que pensam sem ofensas e assim que puder, retribuirei a visita e/ou responderei aqui seu comentário.
Obrigada!!
cheirinhos
Rudy