11/06/2017

RESENHA #39 - ”O AMOR EM PRIMEIRO LUGAR” - EMILY GIFFIN

LIVRO:”O AMOR EM PRIMEIRO LUGAR”
TÍTULO ORIGINAL: “FIRST COMES LOVE”
AUTORA:EMILY GIFFIN
TRADUÇÃO: PAULO POLZONOFF JUNIOR
EDITORA:NOVO CONCEITO
PÁGINAS –352
1ª  EDIÇÃO
IMPRESSÃO 2016
CATEGORIA: FICÇÃO NORTE-AMERICANA
ASSUNTO: ROMANCE
ISBN: 978-85-8163-454-8


CITAÇÃO:
“-Bom, essa é uma questão completamente diferente... Tem a ver com as pessoas na sua vida, não com sua identidade. E essa situação pode acontecer de qualquer forma. As pessoas morrem. Vão embora. Muita gente cresce sem pai ou mãe. Então, se você nunca se casar, seu filho vai ter só você. – Ele dá de ombros. E daí?
-E daí o quê? – pergunto. – Isso não é triste?
- Mais triste do que nunca ter nascido?” (pág. 77)


ANÁLISE TÉCNICA:

-CAPA-

Uma praça (?)/caminho coberto de neve, ladeada por árvores, banco e lamparina, duas pessoas caminhando.
A capa é toda banca e azul, sóbria e a sensação de ser fria...
Parece com a capa de “Questões do coração”, outro livro da autora.
Arte da capa: Idée Arte e Comunicação.

NOTA: 4,00 DE 5,00

-DIAGRAMAÇÃO:

Folhas amareladas com letras pretas um pouco acima da média, facilitando a leitura.
Conteúdo: dedicatória; prólogo; trinta e cinco capítulos, numerados por extenso e com pequenos logotipos de coração em flor; e, agradecimentos.
Impressão e acabamento: RR Donnelley 131016.
Produção editorial: Equipe Novo Conceito.

NOTA: 4,80 DE 5,00

- ESCRITA:

Narrativa descritiva em primeira pessoa, intercalada pelas protagonista Josie e Meredith, diálogo bem construídos e visão geral do pensamento e sentimento das protagonistas, tornando o entendimento abrangente sobre as situações. As impressões são bem pessoais.
Os capítulos são intercalados entre as irmãs.
Não foi encontrado erros gráficos ou ortográficos.
Preparação de texto: Camila Fernandes.

NOTA: 4,80 DE 5,00



CITAÇÃO:
“Fiz que sim, pensando que aquela afirmação era muito verdadeira e me lembrando de uma citação de um grupo de apoio do qual participei brevemente com minha mãe. O luto é um mistério que precisa ser vivido, não um problema a ser resolvido, escreveu nossa conselheira – que perdera a filha de nove anos – no quadro. Talvez ela tivesse razão. Ainda assim, a mim parecia que conversas e tentar resolver era a única forma de realmente aceitar. A única esperança de cura. Disse isso para Ellen naquela noite e ela rapidamente concordou.” (págs. 107/108)


SINOPSE:
“Uma tragédia familiar muda tudo na vida das irmãs Josie e Meredith. A tristeza torna-se algo recorrente, mas elas fazem de tudo para seguir em frente. E seguem...
Quinze anos mais tarde, Josie e Meredith não têm um relacionamento harmonioso. As diferenças de personalidade delas, que já existiam antes da tragédia, estão ainda mais acentuadas. Elas se veem com frequência, mas não se entendem. Uma vida marcada pela tristeza velada e por segredos que as afastam cada vez mais.
Será que Josie e Meredith vão conseguir se libertar de seus medos e se abrir para o novo? Será que, finalmente, elas conseguirão seguir em frente de verdade?
O amor em primeiro lugar é uma fascinante história sobre família, amizade e a coragem de seguir o próprio coração.”

RESUMO SINÓPTICO:

DANIEL era o filho e irmão que dava suporte a família. Centrado, equilibrado, prestes a casar e constituir família. Era o queridinho dos pais e das irmãs: JOSIE E MEREDITH. Até que acontece um acidente de carro e Daniel morre.
Desde de a morte de Daniel tudo muda na família, os pais se separam e as irmãs que já tinham temperamento totalmente diferente, passam a ter um relacionamento ‘suportável’ de convivência, mas não se entendiam mesmo.
Quinze anos se passaram, porém ninguém superou a morte de Daniel. Sentem-se culpadas pela morte do irmão ou condenam uma a outra pelo que aconteceu. Ambas escondendo seus segredos, sem serem totalmente sinceras consigo mesmas e com os que as rodeiam.
JOSIE é professora de escola primária e ama suas crianças. Não havia casado. Foi noiva de Will por algum tempo, até terem terminado o relacionamento há anos atrás. Agora Edie, filha de Will é sua aluna e ela encontra-se totalmente desestabilizada emocionalmente, primeiro por ver a felicidade dele e por não ter encontrado a felicidade durante todos os anos após o término.
MEREDITH está casada com Nolan, o melhor amigo de Daniel. Tem uma filhinha, Harper que é apaixonada pela tia Josie, o que a deixa ainda mais ressentida, pois se considera uma péssima mãe, após ter tido depressão pós parto. Em compensação é ótima profissional, dedicada e se entrega totalmente ao trabalho, relegando por vezes seu relacionamento com o marido e a filha. É apegada a mãe. É neurótica e tem TOC. Faz terapia.
Josie resolve ter um filho de forma independente, já que não consegue manter um namoro sério por muito tempo.
Meredith resolve terminar o casamento, acredita não amar o marido como merece.
Ambas querem ter a vida que a outra irmã tem.
E vão descobrir juntas, o quanto o amor familiar supera todas as situações e é a coisa mais importante da vida.

ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTORA:

Emily Giffin é uma escritora que sabe mostrar com realismo, o sentimento das pessoas, as situações comuns do dia a dia das famílias e o quanto os relacionamentos podem ser complicados (ou não).
Trouxe irmãs totalmente antagônicas, tanto fisicamente, como em suas personalidades. Josie é a alegre, extrovertida, cômica até, trazendo capítulos hilários, mesmo lidando com seus traumas e culpas. Meredith é séria, estressada, tem TOC e quer tudo certo demais, dentro dos padrões que ela acha serem corretos. Os capítulos protagonizados por ela são um tanto quanto tenso e alguns até monótonos.
O melhor do livro, depois de identificarmos as rixas entre as irmãs, são os assuntos importantes que aborda, como a perda de ente querido, como lidar com o luto e a culpa, o quanto as amizades são importantes e o quanto o amor prevalece a qualquer outro sentimento. Traz lições sutis que o leitor vai absorvendo no decorrer das páginas.
Não é uma leitura fácil. É intensa devido a carga emocional e a profundidade com que os sentimentos são amplificados. Não há como não nos identificarmos de alguma forma com os fatos ou com as protagonistas, porque de alguma maneira, já passamos por algum tipo de situação que as personagens passaram, ou, nos identificamos com a personalidade criada para elas.
E no final, a grande surpresa e reviravolta, torna o livro ainda mais agradável para leitura. Não tem ação e nem fatos dinâmicos, mas traz a sobriedade dos relacionamentos e o entendimento do quão profundo o amor é importante na vida das pessoas. É um grande drama familiar.
Recomendo a leitura para quem gosta desse estilo de livro.


NOTA : 4,00 de 5,00

Emoticon triste


SOBRE A AUTORA:

Emily Giffin


Emily Giffin é advogada, formada pela Wake Forest University, mas sempre gostou de escrever. Seus romances bem escritos e relacionados à vida moderna são garantia de diversão. A autora best-seller pelo The New York Times vive com o marido e três filhos em Atlanta, nos Estados Unidos.

CHEIRINHOS
RUDY


5 comentários:

  1. OLá, Eu nunca li livro da Emily Giffin, ese livro me parece ser muito triste e tem muito Drama, como gosto de livros intenso e que me faz refletir, gostaria de ler!!

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Ainda não tive o prazer de conhecer a escrita dessa autora, mas por tudo que você citou, em sua ótima resenha, parece ser uma leitura bonita e reflexiva.
    Gostaria de conferir.
    Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Tenho muita vontade de ler um livro da Emily, porém, ainda não tive a oportunidade de ler.
    Esse parece ótimo. Adoro livros com dramas familiares, ainda mais quando tem reviravoltas como este, no final.
    E falando de luto, é bom, eu acho que aprendemos e até conseguimos minar algumas de nossas dores com essas leituras.
    bjssss

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu já li um livro dessa autora, e eu me apaixonei pela escrita dela, pela forma dela passa a mensagem incrivel e maravilhosa pela historia dela e como se fosse uma lição de vida para você. Eu com certeza já quero ler os outros livros dela.!

    ResponderExcluir
  5. Ainda não conhecia esse título e também não tive contato com a escrita da autora. Mesmo a autora se prendendo nos detalhes e dramas dos relacionamentos, quando bem construídos, eu gosto bastante do estilo.

    ResponderExcluir

Adoro ler seus comentários, portanto falem o que pensam sem ofensas e assim que puder, retribuirei a visita e/ou responderei aqui seu comentário.
Obrigada!!
cheirinhos
Rudy