22/11/2017

RESENHA #86 - “A QUEDA” (LITERATURA NACIONAL) - MARCELO PEREIRA RODRIGUES

LIVRO: “A QUEDA” (LITERATURA NACIONAL)
AUTOR: MARCELO PEREIRA RODRIGUES
EDITORA: MPR EDIÇÕES
PÁGINAS – 362
1ª  EDIÇÃO 2017
CATEGORIA: ROMANCE
ASSUNTO: FICÇÃO FILOSÓFICA
ISBN: - 978-85-913460-2-8

Marcelo Pereira Rodrigues


CITAÇÃO:

“- O sentido da vida. O sentido da vida é exatamente a falta de sentido na vida.” (pág. 18)

“ [...] “Filha, aprenda uma coisa: não basta dinheiro para se ter uma vida feliz. O importante é buscar um foco e deixar para lá todos os seus bens e conquistas financeiras. Ser feliz com as coisas simples. Respire o ar e sinta como é diferente aqui no campo.[...] “ (pág. 41)


ANÁLISE TÉCNICA:

-CAPA-

Preta com ilustração  ou pintura abstrata e colorida.
Acredito que o significado da capa é bem condizente com a mensagem que o autor deseja passar no livro.
Feita por Weber Dornelas.

NOTA: 5,00 de 5,00

-DIAGRAMAÇÃO:

As folhas são brancas e as letras pretas acima da média, o que compensa a brancura das folhas na hora da leitura.
Conteúdo: dedicatória; pensamento; vinte e quatro capítulos numerados e com títulos; e, epílogo.
Composição gráfica: Weber Dornelas
Impressão e acabamento: O Agente Literário

NOTA: 4,80 de 5,00

- ESCRITA:

A narrativa é descritiva em terceira pessoa desconhecida, diálogos dinâmicos e com linguagem contemporânea e de fácil entendimento, muitas citações de pensadores, algumas citações musicais importantes.
Pouquíssimos erro de ortografia, dois ou três apenas que não atrapalham em nada o entendimento do texto.
Revisão: Avelina Maria Noronha de Almeida

NOTA: 4,80 de 5,00

CITAÇÃO:

“ [...] Inteligente, sabia que o amor é a madeira robusta enquanto a paixão é apenas o verniz que cobre essa madeira. [...]” (pág. 93)

“Sem querer professar nada, nem doutrinar ninguém, indico a todos pensarem com suas próprias cabeças. A razão científica e filosófica deve ser sempre exaltada. Procurem conhecimentos em pensadores tais Charles Darwin, Nietzsche, Simone de Beauvoir, Sarte, Galileu Galilei, Leonardo da Vinci, Descartes, Hannah Arendt, Sigmund Freud, Shopenhauer e os citados acima. Há muita gente boa pensando o mundo. [...]” (p[ag.  100)

SINOPSE:

“A Queda conserva a inspiração ou a problemática existencialista presente em outros trabalhos como 23,59 Minutos: Reminiscências Do Que Está Por Vir e Um Café com Sartre. No entanto, a forma de apresentação é nova. De um lado, remete ao Mundo de Sofia ao incorporar referências a filósofos importantes da tradição filosófica (Heidegger, Camus, Nietzsche) por outro, insere personagens comuns numa teia cujas histórias se entrelaçam, embora se desenvolvam autonomamente e terminem de forma banal. Não há como não enxergar no principal personagem, um professor e escritor de nome Gregório, a figura do autor. Se não por semelhança de vida ao menos pela identidade no modo como conduz a existência.”


CITAÇÃO:

“A filosofia implica uma mobilidade livre no pensamento, é um ato criador que dissolve as ideologias.” (Martin Heidegger) (pág. 118)

“[...]  Acreditar em algo, mesmo que o mundo pareça não estar nem aí parar o seu sonho.Falar de amizade com o exemplo do fiel escudeiro fidalgo, Sancho Pança. Falar de amizade, de amor, de sonhos, inspirou a todos a irem além. [...]” (pág. 131)


RESUMO SINÓPTICO:

GREGÓRIO MENDES tem 40 anos, é filósofo, palestrante, agitador cultural, escreve uma coluna comportamental no jornal do bairro, é professor de literatura e redação em um renomado colégio de Belo Horizonte. É escritor também e está indo para o lançamento do seu primeiro livro em uma noite chuvosa, cheia de imprevistos.
Poucas pessoas vão ao lançamento:
CARLA sua aluna do colégio onde leciona, tem apenas 15 anos e gosta muito de ler e de filosofia, principalmente de Nietzsche, sabia várias falas do livro dele ‘Assim Falava Zaratustra’. Era um tanto isolada dos colegas, não tinha amigos, te vergonha da mãe por ser escândalos e viver de aparência e vivia em busca de um sentido para sua vida.
JUREMA posteriormente conhecida como BRIGITTE, é mãe perua  de Carla, pensa apenas em estar em evidência socialmente, melhores roupas, melhores viagens, mulher fútil que vive de aparência.
JULIANA vegana, natureba e defensora ferrenha dos animais, anda com ração dentro da bolsa para distribuir aos animais abandonados e busca construir um abrigo para eles. O convívio é tão grande que o cheiro dos animais está impregnado em sua pele.
HAMILTON  tem 40 anos, é vidrado em loteria da CEF, homem simples que vende anúncios para o mesmo jornal do bairro onde Gregório escreve. Joga semanalmente e na semana que não conseguiu fazer seu jogo por problemas técnicos na lotérica, acaba ganhando sem ter jogado e isso o abala profundamente...
LUÍSA é fascinada pelo mundo virtual, é difícil se conectar pessoalmente com ela, ainda mais que sabe inglês e trava conhecimento com  pessoas dos países que usam a língua. Gregório foi professor dela em um cursinho. Colocou vídeo do lançamento do livro de Gregório, justo a parte onde Déborah falava, o que a prejudicou em sua causa.
DEBORAH é uma chorosa, usa lenço na cabeça, símbolo da sua luta contra o câncer. Mantém um registro diário no face com frases de auto ajuda, pensa que as pessoas que passam pelo que ela passou, podem ter um alento com suas palavras. Ficou bem deprimida com a postagem do vídeo de Luísa. Um de seus filhos fica tão revoltado com a repercussão do vídeo que executa um plano de vingança contra Luísa...
ANDREIA é outra chorosa, chorava de dia e de noite por sentir-se culpada pela morte da mãe, sozinha em um hospital. Fez terapia, leu livros de auto ajuda e encontrou paz apenas na igreja evangélica que a acolheu. Tornou-se pastora posteriormente.
ARTHUE é um jovem de 22 anos, leitor dos clássicos e conheceu Gregório em uma aula de redação. Muito unido a sua irmã LORENA que o acompanha em todos os eventos. Ele passa de monitor a professor na UFMG e se torna um dos expoentes da literatura clássica universal.
CRISTIANO ou CHRIS tem 30 anos  é gay assumido e pertence ao movimento da Consciência Negra, ideólogo, vê discriminação e perseguição em tudo. É promíscuo, porém conhece Eduardo e tenta manter um relacionamento estável com ele.
MÁRCIA é dentista e ativista do feminismo e homossexual assumida. Tentou ter um relacionamento com Gregório, porém, por ter sido estuprada por seu próprio pai na infância, sente nojo de homem.
NICODEMUS ou NICO chegou atrasado ao evento e reclamando da chuva, da falta de transporte, reclamando que em outros países europeus, tudo é diferente. É professor em um cursinho de inglês e megalomaníaco em relação a viagens para o exterior, embora nunca tenha feito nenhuma. Mentia para todos dizendo que conhecia vários países estrangeiros e falava sobre eles como se conhecesse mesmo, porém seu aprendizado era apenas através dos folders de agências de turismo. Tinha um ar esquizofrênico.
JOEL é filósofo de formação, mas é sustentado pela mãe que é faxineira, não quer se subjulgar ao sistema e trabalhar em subempregos. Pensa apenas em ficar filosofando e sendo sustentado pelo esforço do trabalho da mãe.
Gregório vendeu apenas dois livros em seu lançamento.
Todos os personagens acabam se encontrando posteriormente de alguma forma com Gregório, entrelaçando assim suas histórias de vida...

CITAÇÃO:

“[...] O grande ideal de uma vida profissional é a felicidade.” (pág. 139)

“A diferença de pensamento pode resultar em duas possibilidades: ou você pensa a coisa de um modo amplo e, para tal produz uma filosofia, ou se limita a enxergar as coisas de um engulo apenas e professa uma ideologia. “ (pág. 147)


ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTOR:

O livro é bem profundo e nos traz grandes questionamentos em vários aspectos. O autor traz um enredo que aparentemente pode parecer enfadonho, afinal, nem todos estão preparados para ler sobre filosofia e seus pensadores, entretanto, com uma linguagem de fácil entendimento e uma trama bem escrita através de personagens diversificados que poderiam (e devem ser) reais, traz um romance (não de romantismo e conquista, embora também tenha em uma pequena parte dele) atual e totalmente crível, com situações cotidianas, onde o leitor consegue se identificar em vários momentos de alguma forma.
O autor aborda temas importantes  e que devem ser discutidos como: diversidade sexual e religiosa, suicídio, relacionamento, objetivo de vida, o que é a felicidade, objetivo de vida, o sentido de se fazer o que se quer fazer, o vício dos relacionamentos virtuais, corrupção, vício em jogos e vários outros temas mais abrangentes e contemporâneos.
Traz indicação de livros (inclusive os dele, o que achei o máximo), músicas, pensadores e os significados de suas premissas existenciais, clássicos pensadores e suas teorias, o que torna o livro muito instrutivo e mostra o quanto o autor usou de seus conhecimentos e pesquisas, para trazer uma obra primorosa e diversificada, ainda que mantenha um tom engraçado e alguns trechos e leves insinuações sexuais.
Ou seja, é um livro bem abrangente em vários aspectos e bem profundo em outros.
Talvez não esteja conseguindo traduzir em palavras o real sentido da escrita do autor, porque já sabem que tenho grande dificuldade em fazer resenha dos livros quando gosto muito.
Digo apenas que é uma das melhores leituras feitas esse ano e que vai para a lista dos meus tops nacionais, que me dá grande orgulho, porque tenho descoberto grandes escritores e o autor é um deles.
Leiam! Recomendo muito a leitura! Pelas citações (que foram muitas), podem ter uma noção do que encontrarão no livro.

NOTA : 5,00 de 5,00



CITAÇÃO:

“[...] A cidade é uma cacofonia de pessoas singulares que pertencem a uma mesma raça, mesmo pensando ser diferentes.” (pág. 160)

“[...] Conversar com adolescentes é dar saltos sobre nossas vãs convicções, aprender, dialogar. [...] “ (pág. 181)


SOBRE O AUTOR:

Marcelo Pereira Rodrigues

Marcelo Pereira Rodrigues (MPR), 42 anos, é escritor (cronista e romancista), filósofo e palestrante, consolidando uma carreira literária e universalizando seus temas, dialogando com os maiores nomes da literatura universal através de ficções bem afiadas. Publicou há pouco, em Portugal, o aclamado Corda Sobre o Abismo ou O Elogio da Desesperança. É editor-chefe do Jornal Cultural “Conhece-te a ti mesmo”, periódico mensal que persiste de forma ininterrupta por 15 anos. Escreveu os seguintes livros: Muito Humano Demais (crônicas, 2002); Nós (crônicas, 2003); 23 Horas: 59 Minutos: Reminiscências do Que Está Por Vir (romance, 2004); Um Café com Sartre (romance, 2006); Pimenta, Sal & Alho (crônicas, 2007); Minhas Mulheres (romance, 2009); O Filósofo Idiota: O Livro Proibido Na UFSJ (romance, 2011); Acústico MPR: Os Piores Sucessos & Os Melhores Fracassos de Marcelo Pereira Rodrigues (ensaios, artigos e biografia, 2012). Corda Sobre o Abismo (romance, 2013) Corda Sobre o Abismo ou O Elogio da Desesperança (romance, 2015, lançado também em Portugal, Angola e Cabo Verde). Perfume de Mulher (crônicas, artigos e ensaios, 2015) e A Coffe With Sartre (lançado na AMAZON).


CITAÇÃO:

“[...] Observem bem: perdemos uma grande colega e agora podemos aprender uma lição: só temos o dia de hoje para mudar as nossas atitudes em relação ao mundo e às coisas. Pensar diferente, o tal ‘pensar fora da caixa’. Vamos compreender que podemos e devemos ir além, sonhar. Isso para escaparmos do vazio. [...]” (págs. 226/227)

“- Todos nós magoamos as pessoas e somos magoadas por elas. São coisas da vida mesmo.” (pág. 267)

“- Simples assim. Deus é amor e ele se revela na simplicidade. Ajudar aos outros, entende? Levar conforto a almas desamparadas. [...]” (pág. 271)

“-Deus é tão maravilhoso na nossa vida que nos dá o livre-arbítrio. Nós decidimos as nossas coisas, simples assim. [...]” (pág. 275)

“-É que depois que as coisas acontecem, fica fácil para julgarmos corretamente o passado.” (pág. 277)

“[...] A força do pensamento positivo é a chave motriz que fará com que possamos alcançar todos os nossos objetivos. Ter a mente positiva é perceber que estamos com o espírito nos Alpes Suíços, pelo menos na percepção de nossa alma, para enfrentarmos a dureza do cotidiano. Pensamento positivo é o que nos faz crescer como seres humanos que somos.” (pág. 289)

“[...] Reflete: ‘Quando se está no atoleiro, qualquer coisa que fazemos só nos faz afundar mais e mais. O negócio é ficar parado.’[...]” (pág. 313)

“-Sim. Este sujeito opôs vida e morte. Dizia ele: a vida é a totalidade de sensações, e a morte é a ausência de sensações. Bem simples, né? Mas aí é que vem: estamos completamente presentes quando vivemos, sentimos as sensações. [...]” (págs. 322/323)


“-Desconfio que com a morte se dá a mesma coisa. Quando chega o sono eterno, bem, já não estamos mais presentes, pois estamos com ausência de sensação.” (pág. 324)

CORTESIA ENVIADA PELO AUTOR.

Se desejarem conhecer mais sobre o autor e seus livros, inclusive comprá-los, acessem:



CHEIRINHOS
RUDY


8 comentários:

  1. Citou Leonardo da Vinci, é certeza q irei gostar kkk...
    Caramba...achei muito interessante a peemisa...amei as citações...
    Amo livros assim pq passo muito tempo lendo frases e textos de Pensadores, principalmente dos antigos. Sou completamente apixonada por filosofia e, sem ao mesmos ter lido, já sei q esse livro é muito bom.
    Amei sua resenha, Rudy.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Rudy, fiquei embasbacado com tamanha eloquência em sua resenha. Esse é o tipo de livro de que gosto, que explora no âmago a existência do ser humano. Vou procurar conhecer mais sobre esse autor.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. heiiiiiiiii Rudynha, mas que livro é este hein? sou fascinado por filosofia, fico questionando a tudo e a todos (seria a busca pela felicidade ou seria apenas o desencanto pelo que estamos vivendo?). há em mim uma distúrbio mal explicado, uma necessidade de buscar algo que com complete, que me transborde. não há palavra que consiga traduzir. então quando me deparo com livros assim já fico logo salivando, louco pra colocá-lo à frente, como um farol que ilumina o caminho. todas as citações são saborosas demais, merecem reflexões em diversos níveis, pessoais, familiares, universais. sua resenha já me ganhou querida e lá vai pra minha imensa lista de desejados. bjos e sucesso pra ti sempre!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a Dica do livro, ainda não conheço a escrita do autor, mas gostei da resenha e quero ler, Amei as citações e que diversidades de personagens e vários temas abordados, vou ler com certeza!!

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o autor, nem o livro, mas gostei.
    Pelo jeito tem um pouco de tudo, abordando com leveza e inteligências assuntos tabus e polêmicos, nos fazem refletir e de deliciar com toda essa diversidade.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto de assuntos envolvendo filosofia. Esse livro trata realmente de temas bem profundos que vale à pena se aprofundar.

    ResponderExcluir
  7. Oi Rudy, tudo bem?
    Eu já havia lido alguns posts sobre esse livro, mas não uma resenha. Achei bem interessante.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito!! Não conhecia o livro, nem mesmo o autor.
    Confesso que no início não me chamou tanta atenção. Porém, quando você disse os temas que o livro aborda, e as referências e citações de outros livros, etc que foram feitas, fiquei bastante interessada.
    Aqui no blog, estou descobrindo obras nacionais incríveis.
    Obrigada!!

    Bjos

    ResponderExcluir

Adoro ler seus comentários, portanto falem o que pensam sem ofensas e assim que puder, retribuirei a visita e/ou responderei aqui seu comentário.
Obrigada!!
cheirinhos
Rudy