26/11/2017

RESENHA #89 - “MARIA ISABEL E SORAIA” (LITERATURA NACIONAL) - NARA TOSTA

LIVRO: “MARIA ISABEL E SORAIA” (LITERATURA NACIONAL)
SÉRIE: MULHERES EM CENA
AUTORA: NARA TOSTA
EDITORA:BAMBUAL
PÁGINAS –170
1ª  EDIÇÃO 2017
CATEGORIA: FICÇÃO
ASSUNTO: CONTOS BRASILEIROS
ISBN: - 978-85- 923209-2- 8


CITAÇÃO:

“[...] –Adorei fazer parte de sua primeira experiência. Não se sinta culpada, a vida é assim, hoje amamos, amanhã não mais.” (pág. 21)

“[...] E pensou: “Meu Deus, quando achei que tudo ia bem, que minha vida mudaria, que meu casamento estava salvo, Luiz Henrique estraga tudo. Preciso de bons argumentos para convencê-lo. Talvez mudar alguns pontos no projeto...”, respirou fundo e virou para o outro lado. [...]” (pág. 67)

ANÁLISE TÉCNICA:

-CAPA-

Toda laranja com letras rosas e flores violetas.

NOTA: 5,00 de 5,00

-DIAGRAMAÇÃO:

Nenhum texto alternativo automático disponível.

As folhas são rosas com letras cor de vinho medianas. São lindas, porém dificultam um pouco a leitura, principalmente a noite ou em lugar escuro.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Conteúdo: agradecimentos; palavras da autora; os dois contos com títulos, descrição a quem pertence e indicação musical. Ilustrações nas divisões de capítulos.
Todo projeto de diagramação é lindo!

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Coordenação Editorial: Isabel Villar.
Direção de Arte: Rafael Nobre – Babilonia Cultura Editorial.
Projeto gráfico e ilustração: Andre Manoel – Babilonia Cultura Editorial.
Diagramação: Luciana Mello – Babilonia Cultura Editorial.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

NOTA: 5,00 de 5,00


- ESCRITA:

A narrativa é descritiva em terceira pessoa uni presente nos dois contos. Os diálogos são fluidos e reflexivos, de fácil entendimento e envolvimento. A linguagem é corriqueira e de fácil identificação.
Dois ou três erros quase imperceptíveis e que não interferem na leitura.
Revisão: Elisabeth Lissovsky, Lívia Buxbaum e Raquel Pereira.
A poesia Mulheres em Cena, que está na contracapa do livro, é de autoria de Lara Braga e foi manuscrita por Adélia Braga, mãe das autoras desta coleção.

NOTA: 4,80 de 5,00

CITAÇÃO:

“[...] –Nem sempre necessita ser forte, às vezes a fragilidade traz renovação mais rápido.” (pág. 84)

“[..] – Você me ensinou que a vida é uma dádiva e que não podemos tratá-la com desprezo.- sorriu. – E é preciso cuidado com os nossos sentimentos, com nosso corpo e principalmente com nossa família. [...]” (pág. 96)

“[...] – O amor às vezes excede a plenitude, mesmo à distância.” (pág. 96)

SINOPSE:

Uma mulher comum, como tantas outras, sofre com a falta de atenção do marido. Sentindo-se completamente só, torna-se suscetível a sedução de outros homens, enquanto empreende tentativas frustradas de diálogo com o companheiro. Essa é Maria Isabel, personagem criada por Nara Tosta, plena de empatia com o sexo feminino. Questionamentos, ponderações, emoção à flor da pele. Maria Isabel chegou à idade madura e quer dar um novo rumo à vida, mas sente-se paralisada e incapaz em uma vida que já não lhe serve mais. Acompanhamos seu lento e dificultoso avançar até o desfecho surpreendente.

Presa a um passado que não viveu, e cujos reflexos impactam seu presente e futuro, Soraia, se debate entre o legado deixado por Gustavo, amor de sua vida, recém-falecido, e o vício em álcool, adquirido por desgosto. Os filhos e a irmã tentam ajudá-la, inclusive com o negócio, um bem sucedido salão de beleza, mas a situação chega às últimas consequências, como se isso fosse necessário para que caísse em si.

Maria Isabel, a dona de casa e Soraia, a empresária, são duas novelas de Nara Tosta – reunidas em um único livro com o nome de suas protagonistas –, que tangenciam questões fundamentais na vida de toda mulher. A publicação faz parte do movimento Mulheres em cena, promovido por Nara e sua irmã Lara Braga, com o propósito de reunir, congregar e convidar à reflexão e à transformação mulheres de todas as idades e classes sociais interessadas em se transformar e avançar em direção à realização de seus sonhos e projetos.


CITAÇÃO:

“[...] – Fui salvo pelo seu amor. – fez uma pausa. –Seu carinho me ensinou que é preciso lutar com dignidade para vencer nossas falhas, e que o mundo nos convida a cair nas armadilhas da vida todos os dias. – suspirou. – Mas a família, você me ensinou isso, a família é a nossa base, nosso alicerce, e jamais podemos perder esse elo. – sorriu e a acarinhou. [...]” (pág. 136)

“[...] –Cometemos erros em nossa vida e pagamos um preço alto. O que vivo hoje é consequência de minha arrogância! Tive oportunidade de reestruturar minha família, meus filhos poderiam ter sido mais amigos e companheiros. Estou morrendo e eles não estão ao meu lado. Não soube criá-los com amor verdadeiro. Minha família teve um alicerce falso. [...]” (pág. 147)


RESUMO SINÓPTICO:

1º CONTO: MARIA ISABEL é uma mulher madura, com mais de 40 anos e 22 de casada com LUIZ HENRIQUE, eles tem um filho, VINÍCIUS. Ela apesar de dona de casa, tem um negócio flexível, vende pela internet roupas fitness. Tem uma rotina diária, leva o filho para escola, vai à academia, faz entrega de suas vendas, pega o filho na escola, volta para casa e todos os dias o ritmo é o mesmo. É mulher linda, em forma para a idade e que atrai olhares dos homens à sua volta, mas o marido...parece não perceber suas vontades e desejos. Passa por uma crise existencial. Quer a atenção, carinho e o cuidado do marido. Ele pensa apenas em trabalho, é nerd e workaholic, e acredita que manter o sustento da casa é suficiente, quase não procura a mulher de forma romântica e sexual. O comportamento dele a deixa revoltada, tenta conversar sobre a relação e ele sempre sai pela tangente, a deixa falando sozinha...Ela resolve abrir seu próprio negócio e faz o projeto. Quando apresenta para Luiz Henrique, ele se mostra machista e diz que não vai investir em um negócio como aquele. Ela fica chocada, mas não se entrega, é obstinada e resolve que vai mudar sua vida com ou sem Luiz Henrique...

2º CONTO: SORAIA é empresária bem sucedida, dona do Salão de Beleza La Belle e tem muito sucesso, com clientela fiel e personalidades conhecidas. Tem 46 anos, mãe de dois filhos: Fábia de 29 anos, administrador bem sucedido e Flávio, 25 anos, cinegrafista de uma produtora. Está viúva, mas antes mesmo do ex marido falecer, já havia se separado dele, foi corajosa no momento da separação e se considerava ma mulher forte. Até uma manhã, quando sua irmã e companheira de fé para tudo na vida, Valesca, informa que o grande amor da sua adolescência, GUSTAVO, havia morrido...Soraia fica desesperada, não acreditava que seu grande amor havia morrido e não vê mais sentido em viver. Vivia com esperança de poder reencontrá-lo um dia e reviverem o grande amor e agora com sua morte, não tinha mais sentido em lutar pela vida. Apesar do amor e apoio dos filhos e da irmão, Soraia entra em um quadro depressivo forte e se envolve com o álcool... Torna-se alcoólatra, mas não assume. A família acaba se afastando por não aguentar mais a agressividade e despreza de Soraia, o negócio começa a declinar sem sua dona a frente e muitos mistérios do passado começam a ser revelados, deixando-a ainda mais chocada e depressiva. A vida no entanto traz surpresas inesperadas e permite a Soraia uma nova possibilidade de viver, resta apenas saber se ela aceitará ou não tal responsabilidade...



CITAÇÃO:

“[...] Descobriu através da dor de um amor impossível o despertar de um amor puro e verdadeiro. Clara Luz lhe provava todos os dias que a vida é mais que uma caixinha de surpresa, é uma dádiva de aprendizado quando se ETA aberto às mudanças que surgem em nosso caminhar.” (pág. 168)

“-E você me entende? – ponderou ele, chegando-se a ela. – Somos um casal, mas somos individuais, não temos que mudar para agradar o outro.” (pág. 42)

ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTORA:

Gosto muito de contos e quando falam sobre a vida real e cotidiana, ainda mais, porque de alguma forma, acabamos nos identificando ou com o enredo ou com algumas das personagens retradas nas histórias.
E por falar em personagens, devo ressaltar que são bem retratadas e descritas nos dois contos. Personalidades, vontades e sentimentos muito bem descritos e que nos envolvem durante a leitura.
São duas histórias totalmente independentes e diferentes, porém falam de mulheres que vivem situações críveis que poderiam acontecer a qualquer uma, sem contar que são mulheres fortes e obstinadas e mostram o poder feminino dentro do seio familiar. Mulheres com seus defeitos e deslizes na vida, entretanto, obstinadas e em busca de sua felicidade pessoal.
A força demonstrada nos contos, é cheia de primazia. Mostra a vitalidade e o sentimento de forma intensa, envolvendo o leitor de tal maneira que parece estar vivendo as tramas, os dramas e os momentos transcritos pela autora. São contos fortes e densos que envolvem a família, os sentimentos  e desejos pessoais de serem reconhecidas e amadas.
Um único porém não me fez dar a nota máxima ao livro: no segundo conto, o drama da protagonista é tão intenso que acabou se tornando repetitivo em vários momentos, o que trouxe a impressão de monotonia em determinados trechos, poderiam ser ‘cortadas’ algumas partes que se repetiam e repetiam...
Ainda assim, não há o que se questionar quanto a sensibilidade e percepção da autora que coloca em palavras, situações que qualquer mulher poderia passar, mostrando a qualidade em seus escritos e o potencial de transformar ‘casos’ comuns em histórias fantásticas e de superação. A autora tem grande sensiblidade.
Recomendo a leitura para todos, principalmente para os homens, para que percebam os conflitos vividos pelas mulheres e possam auxiliá-las na jornada de companheirismo e amor.

NOTA : 4,80 de 5,00



SOBRE O AUTORA:



Nara Tosta nasceu no Rio de Janeiro. Já foi professora, esteticista, empreendedora, dona de pet shop, estudante de veterinária. Mais madura se tornou produtora de eventos, cerimonialista, celebrante de casamentos e escritora – Maria Isabel & Soraia é seu primeiro livro. É casada há 28 anos com Claudio Tosta, e mãe de Felipe, cineasta, 26 anos, e Beatriz, bailarina, 23 anos.

Exemplar cedido pela Oasys Cultural.

A imagem pode conter: texto

CHEIRINHOS
RUDY


12 comentários:

  1. Ola Rudy!!
    Também gosto muito de livros/contos que falam da vida real e cotidiana, muitas vezes realmente nos identificamos com os enredos dos livros, gostei muito da resenha e vou ler com certeza se tiver oportunidade!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucia!
      Acredito que justamente por nos identificarmos é que gosto tanto.
      Obrigada!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  2. Que fofo!
    Parece ser bem bonito e sensível.
    Gosto muito também de contos, um de cada personagem mesmo, falando sobre dramas e conquistas do cotidiano, sempre nos faz parar pra pensar e analisar mais nossa vida e que rumos estamos tomando conscientemente ou não.
    Vou querer conferir, sim!
    beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana!
      Bom conferir mesmo, é ótimo.
      Obrigada!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  3. Uhhh...tem mais? Haha
    Achei que a resenha anterior fosse do livro completo.
    Caramba... esse livro é interessante pacas.
    Amo histórias de superação...Ainda mais quando misturada com o cotidiano.
    Como eu disse na resenha anterior, gosto bastante do fato de fortalecer o empoderamento feminino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Halana!
      Gosto dos livros que trazem o cotidiano.
      Obrigada!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  4. Os contos parecem bastante interessantes. Acho que os autores devem investir bastante tanto em revisão quando em aparar os excessos. Isso é feito pedindo para amigos e conhecidos lerem antes. Eu leria esses contos porque também gosto muito de personagens que se aproximam do real.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evandro!
      Pois é, basta fazer uma revisão, não é?
      Obrigada!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  5. Oi Rudy!
    Realmente quando nos identificamos com o enredo do livro parece que nos unimos mais ainda a obra. Os personagens parecem muito cativantes, e é realmente uma pena o segundo conto ter sido um pouco repetitivo. Fora isso gostei da história e amei a capa.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Catarina!
      É um livro muito bom sim.
      Obrigada!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir
  6. Oi Rudy, tudo bem?
    Não conhecia o livro, então muito obrigada por me apresentar a ele.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito desse livro, Rudy. Pelo o que você relatou na resenha, mostra ser contos muito bons mesmo.
    Vou ter que dar ele de presente ao meu noivo para ele já saber que as mulheres passam por muitas coisas e necessitam de ajuda e conpanheirismo sempre.
    Muito bom!!

    Bjos

    ResponderExcluir

Adoro ler seus comentários, portanto falem o que pensam sem ofensas e assim que puder, retribuirei a visita e/ou responderei aqui seu comentário.
Obrigada!!
cheirinhos
Rudy